Sobre o livro: As Cores da Vida, Kristin Hannah

cdv

Aquele momento em que vc começa a superar o bloqueio literário causado pelo último livro. Iniciando minha próxima leitura: As Cores da Vida, da escritora Kristin Hannah, e distribuído pela editora Arqueiro. Já leram? Eu confesso que me apaixonei primeiro pela capa e depois pela sinopse, que mostro pra vcs mais abaixo!

“Uma arrebatadora história sobre irmãs, rivalidade, perdão e, em última análise, o que significa ser uma família.

As irmãs Winona, Aurora e Vivi Ann perderam a mãe cedo e foram criadas por um pai frio e distante. Por isso, o amor que elas conhecem vem do laço que criaram entre si. Embora tenham personalidades bastante diferentes, na verdade são inseparáveis.

Winona, a mais velha e porto seguro das irmãs, nunca se sentiu em casa no rancho da família e sabe que não tem as qualidades que o pai valoriza.

Mas, sendo a melhor advogada da cidade, ela está determinada a lhe provar seu valor.” Aurora, a irmã do meio, é a pacificadora. Ela acalma as tensões familiares e se desdobra pela felicidade de todos – ainda que esconda os próprios problemas.

E Vivi Ann é a estrela entre as três. Linda e sonhadora, tem o coração grande e indomável e é adorada por todos. Parece que em sua vida tudo dá certo. Até que um forasteiro chega à cidade… Então tudo muda. De uma hora para a outra, a lealdade que as irmãs sempre deram por certa é posta à prova. E quando segredos dolorosos são revelados e um crime abala a cidade, elas se veem em lados opostos da mesma verdade.”

Nota da Leitora Dinâmica:

As Cores da Vida foi o primeiro livro que li da escritora americana Kristin Hannah; mas tenho certeza que foi o primeiro de muitos. Como eu já havia contado à vocês, comprei o livro pela capa e simplesmente terminei a leitura apaixonada pela história e pela maneira com a qual ela foi contada.
Sem rodeios, detalhismos excessivos ou floreios literários, e com um ritmo bastante acelerado, a autora conta a história das irmãs Grey, e sua família. Sem um personagem principal ou narrador definido, somos capazes de acompanhar diferentes pontos de vista de uma mesma situação ao longo da história, que atravessa mais de uma década.

Com diálogos extremamente humanos e que enaltecem os sentimentos dos personagens, o livro foi um ótimo reinício pós bloqueio para mim, mostrando que muitas vezes a simplicidade é a melhor e mais honesta forma de se contar uma boa e emocionante história. E após finalizar a leitura, percebi que a capa não é somente linda, mas tem sua razão de ser, e de forma sutil mostra a base de toda a narrativa.

Recomendo! E muito!

Obs: Post publicado no instagram @leitoradinamica em dez/2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *