Review: American Horror Story – Apocalypse – EP03: “Forbidden Fruit”

01

“Surprise, Bitch!”

Eu fiquei tão impactada pelo episódio da semana passada, que confesso que acabei procrastinando este Review, porque sinceramente: não sei nem por onde começar! Mas…finalmente AHS Chegou!!!!

Foram tantas informações e plots maravilhosos, que mesmo nas cenas pré abertura já ficamos chocados! E se você ainda não assistiu ao episódio, vai aqui aquele – ALERTA SPOILERS – de sempre.

E vamos aos tópicos!

. Mallory: Finalmente Billy Lourd mostrou um motivo para Mallory estar no enredo não é mesmo?! Logo na sequência inicial do episódio, assistimos à Michael fazendo novas entrevistas para o “Santuário”. E durante a entrevista da ajudante de Coco acontece um embate entre eles, onde o Anticristo finalmente mostra sua face e Mallory seus poderes, deixando no ar o fato de que “parece ter algo dentro dela sempre querendo sair”. Não sabemos ainda do que se trata, mas o fato é que o poder de Mallory assustou Michael – a ponto dele pedir ajuda à seu “pai”, Satã. (E tivemos uma excelente melhora na atuação de Billy Lourd, preciso comentar!)

. Dinah Stevens: Durante outra entrevista de Langdom, desta vez com a apresentadora Dinah, informações importantes nos são dadas e de forma tão simples que passam até um pouco despercebidas; primeiro fica claro que eles já se conhecem, e que os poderes de Dinah não são fortes o bastante para representar uma ameaça aos planos de Michael. E também vemos uma espécie de negociação entre os dois, o que diz bastante sobre o caráter da apresentadora. Também vemos a relação entre ela e Andre ser explicada: eles são mãe e filho.

. Mead: Através de flashbacks, conhecemos melhor sua história; ela é uma máquina criada para ser agente da Cooperativa, mas que teve um processo de envelhecimento similar ao humano. Projetada por Michael, ele colocou nela alguns traços da personalidade da “única mulher que o amou e entendeu”, subentendendo que ela foi moldada com características de Constance (Jessica Lange, 1a temporada, avó de Michael). Esta conexão entre eles é dita durante a entrevista dela, e terá grande importância mais à frente.

. O retorno de Brock: O marido de Coco, Brock, consegue invadir o Posto mesmo com todas as mazelas consequentes da radiação e assassinar Coco, na cena mais tragicômica da temporada. Mas pessoalmente, mais importante que o retorno, foi o fato de que seu plot permitiu ao telespectador entender como está funcionando a dinâmica no “mundo exterior” e como os ataques afetaram a saúde e a personalidade dos sobreviventes.

. O Plano de Veneable e Mead: Com a reprovação de Veneable no teste para ir ao Santuário, as duas bolam uma forma de irem juntas para o local prometido por Michael. Elas decidem fazer uma festa de Halloween, envenenando um lote de maçãs que chega misteriosamente ao Posto (daí o nome do episódio, o fruto proibido), oferecendo-o aos demais moradores durante a festa. Com exceção de Coco e Michael, todos os moradores morrem durante a comemoração, conforme o planejado.

. A traição de Mead: Como Michael não foi atingido pelo plano das maçãs envenenadas – e não, isso não é uma parábola infantil – Veneable e Mead vão até seus aposentos para executá-lo só que… o resultado não é exatamente o esperado. Como eu falei anteriormente, existe uma conexão entre Mead e Michael, uma lealdade que nem ela entende direito; na hora de executá-lo ela não consegue, e acaba executando Veneable, induzida por Michael. Aliás este é o momento onde Langdom deixa claro que ele era a “cabeça” por trás do plano das maçãs, já que prefere influenciar as pessoas à sujar as próprias mãos – algo que ele alega ter herdado do pai dele. Esta informação pode ser um pequeno “spoiler” para que futuramente nós possamos entender os motivos que levaram os humanos a causarem o Apocalipse.

E aí, todo mundo morto, caos instalado, o episódio com aquela cara de final quando de repente temos uma mudança na trilha sonora e finalmente vemos entrando nos arredores do Posto: Cordelia, Madison e Myrtle (mais vivas que nunca)! E sim, sou obrigada a fazer um “mea culpa”, minha teoria estava errada e não teremos uma mudança na linha temporal como eu havia suposto. Porém, o grande número de mortes do último episódio, mostrou o que pode ser uma estratégia de Ryan Murphy para resolver a questão de um grande número de personagens interpretados pelo mesmo ator/atriz – e caso se consolide será uma pena, via mais potencial em Veneable, por exemplo.

Ao entrar no Posto, as bruxas resgatam algumas mulheres mortas – Mallory, Dinah e Coco – e as ressuscitam, chamando-as de irmãs, o que nos leva a acreditar que elas fazem parte do Coven. E assim terminou o episódio e foi dado o “start” para a elaboração das mais diversas teorias: existem bruxas morando dentro delas? Elas são bruxas? O espírito de Fiona estaria escondido dentro de Mallory? Ou seria Zoe?

Teorias e ansiedade à parte, só nos resta esperar o próximo episódio, que vai ao ar na quinta-feira às 16horas na FX.

Madison_Montgomery_Apocalypse_Teaser

“Surprise, Bitch!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *