Arquivos

The Handmaids Tale e as novidades da autora, Margaret Atwood

elisabeth-moss-margaret-atwood-handmaids-tale-hulu

Conforme divulgado em diferentes portais de notícias, a escritora canadense Margaret Atwood confirmou em sua conta no Twitter que está trabalhando na continuação do livro “O Conto da Aia”, obra que deu origem à premiada série da plataforma Hulu, The Handmaid’s Tale.

“The Testaments” será o nome da continuação da distopia, cujo lançamento está previsto para setembro de 2019, sem data confirmada para o Brasil. Diferente do livro lançado em 1985 e que possui uma única narradora – Offred – a obra será narrada por três protagonistas diferentes e acontecerá 15 anos após a cena final da 1a temporada da adaptação televisiva, onde Offred é levada dentro de um furgão para um destino desconhecido. Desta forma a obra dará um salto  de mais de uma década na linha temporal atual da série em exibição, que já tem sua terceira temporada confirmada e com estreia prevista para abril do ano que vem.

Aliás, pouco foi divulgado sobre a nova temporada, mas os nomes de Ann Dowd e Bradley Whitford estão confirmados. Ou seja, Tia Lydia está viva e estará mais rígida do que nunca, de acordo com uma declaração do produtor da série, Bruce Miller. Também conheceremos melhor o “Comandante Lawrence” (Whitford), a cabeça por trás da criação de Gilead –  que ainda na 2a temporada, mostra como sua criação o afetou, levando-o a atitudes perigosas.

Somente após o lançamento de ambos – livro e nova temporada – é que poderemos entender as implicações que uma continuação literária, lançada mais de 30 anos depois, poderá trazer ao universo da série. Aguardemos.

Review: Good Girls – Netflix

goodgirls_2-750x380

Tem um bom tempo que assisti à esta série e sinceramente nem havia pensado em fazer um post sobre ela, mas diante da “enxurrada” de produções de suspense, drama e terror que estão sendo disponibilizadas, não tem sido raro amigos e seguidores me pedirem indicações de séries “leves”. E Good Girls atende bem à este pedido sem ter uma trama boba ou atuações rasas.

A série, criada por Jenna Bans e exibida inicialmente pela NBC no começo deste ano, conta a história de três mães de classe-média americanas, que diante de complexas dificuldades financeiras decidem assaltar um mercado local, com o objetivo de conseguir apenas a quantia para a solução imediata de seus problemas. Porém, sem saber roubam muito mais que o planejado e acabam se envolvendo com o Chefe do Crime local, em uma trama cheia contratempos e péssimas, mas divertidas, decisões.

O elenco principal é formado por Christina Hendricks (Mad Men), Retta (Parks and Recreation) e Mae Whitman (Parenthood, As vantagens de ser Invisível). Também estão na produção Matthew Lillard, Manny Montana e Reno Wilson.

Apesar de toda a comédia, a série possui sua carga dramática – a personagem de Retta precisa do dinheiro para pagar o tratamento da filha pequena, que sofre com uma grave doença e Whitman luta para trocar a filha transgênero do colégio onde estuda e sofre bullying. As atuações estão excelentes, com todos os envolvidos permeando entre a tênue linha “mocinho/vilão” e os dilemas éticos que lhe pertencem. Destaque para a atuação de C. Hendricks, mais uma vez maravilhosa e com uma construção de personagem sutil porém enorme.

A série é curta, possui só 10 episódios e é fácil de assistir ou maratonar. E se as “pontas soltas” do final tirarem seu sossego, não se preocupe – a criadora já confirmou a segunda temporada, que segundo a mesma, terá um caráter mais “sombrio”. Confiram!

Fonte: Trailers de Filmes – https://www.youtube.com/channel/UCfguZkY6F_AS7Z30waJv6xg

Lançamentos Netflix: “You”

you1

Foi divulgado que a netflix adquiriu os direitos do thriller psicológico “You”, ou em português “Você”. A série de cinco episódios é originalmente produzida pelo canal americano Lifetime, que já se antecipou e a renovou para uma 2a temporada antes mesmo da sua estréia.

A história – uma adaptação da obra literária de mesmo nome escrita por Caroline Kepnes, e traduzida para o português – fala sobre amor e obsessão nos dias atuais, com o crescimento das redes sociais e tudo que isto fomenta.

you2

Link para compra:

https://www.saraiva.com.br/voce-10015541.html?pac_id=123134&gclid=EAIaIQobChMIx9n7rof93QIVkguRCh09vwv3EAYYASABEgKSvPD_BwE

Leiam a Sinopse:

“Bestseller do The New York Times. Hipnótico, assustador, brilhante são alguns dos adjetivos usados para descrever este thriller sobre um amor obsessivo e suas perigosas consequências. A trama tem início quando Guinevere Beck, que deseja ser escritora, entra na livraria do East Village onde Joe Goldberg trabalha. Bonita, inteligente e sexy, Beck ainda não sabe, mas é a mulher perfeita para Joe, que, a partir do nome impresso no cartão de crédito de sua cliente, passa a vasculhar sua vida na internet e a orquestrar uma série de eventos para garantir que ela caia em seus braços, fazendo com que tudo pareça obra do acaso. À medida que o romance entre os dois engrena, porém, o leitor descobre que Beck também guarda certos segredos e os desdobramentos desse relacionamento mutuamente obsessivo podem ser mortais.”   Fonte: Saraiva

O elenco da adaptação televisiva está recheado de nomes bastante conhecidos pelos amantes de séries, como Penn Badgley de Gossip Girl, Elizabeth Lail de Once Upon a Time e Shay Mitchell de Pretty Little Liars. A estreia no canal Lifetime foi dia 9 de setembro; já a Netflix ainda não confirmou uma data, mas ao que tudo indica a produção entrará ainda na programação de 2018. Vejam a seguir o trailer oficial:

Lançamento Netflix: The Haunting of Hill House

hill-house-2

Estréia hoje na Netflix a 1a temporada de The Haunting of Hill House ou, em português, A maldição de Hill House. A série de terror é baseada no livro homonimo de 1959, escrito pela já falecida autora americana Shirley Jackson – cujo nome em português é conhecido por A Assombração da Casa da Colina, e é considerada uma das maiores obras de terror de todos os tempos.

livro

Link para compra:

https://www.saraiva.com.br/a-assombracao-da-casa-da-colina-10121984.html?pac_id=123134&gclid=EAIaIQobChMIg8nf_vn83QIVlYSRCh0tmAOCEAQYASABEgJltPD_BwE

A série, criada e dirigida por Mike Flanagan, terá 10 episódios e contará a história de irmãos que cresceram em Hill House, o lugar que tornaria-se o mais assombrado e temido dos EUA. Já adultos, eles precisam retornar à casa para resolver algumas pendências do passado. Já a triha sonora ficará a cargo dos The Newton brothers, responsáveis por sucessos como Vingadores e Jogo Perigoso, também da Netflix.

O livro já foi adaptado para as telas outras vezes, sendo a mais recente em 1999, com o título de A Casa Amaldiçoada, com Liam Neeson, Catherine Zeta-Jones, Lily taylor e Owen Wilson no elenco.

The_Haunting_film

A adaptação da Netflix traz no elenco Michiel Huisman (Game of Thrones), Henry Thomas , Carla Gugino, e Elizabeth Reaser (The Good Wife).  Abaixo o trailer oficial, e vou assistir e depois conto para vocês o que achei! Bom feriado!

Netflix e os seus acertos nas novas produções “teen”:

As formulas dos filmes voltados para o público “jovem” já estavam mais que batidas e isso não é novidade para ninguém. Percebendo a falha neste nicho, a Netflix sabiamente lançou recentemente algumas produções excelentes, que merecem ser citadas por suas diferenças com a clássica historinha da cheerleader loirinha se apaixona pelo jogador famoso do time e depois de lutarem contra alguma ex namorada vilã, têm sua tão esperada 1a “noite de amor”.

Neste post vou falar de três delas que eu gostei bastante pelos roteiros com pontos principais nada óbvios:

  • Doce Argumento:

cjar

Sinopse: Dois alunos participam do clube de debate. Eles são rivais e sabem muito bem discordar um do outro. O futuro dos estudantes está em jogo por causa de um campeonato e os dois resolvem deixar as diferenças de lado, despertando sentimentos.

Como sempre as sinopses da Netflix não ajudam muito, mas o filme me interessou primeiro porque aborda uma temática que não temos habitualmente no Brasil: os campeonatos de debates. Segundo porque traz duas atrizes que eu particularmente gosto bastante – Christina Hendricks e Uzo Aduba – no papel das mães dos protagonistas. Aliás não posso deixar de comentar a minha alegria em assistir Aduba em um papel diferente da “Crazy Eyes” de “The Orange is the new Black”, atuando como uma mulher inteligente e empoderada; nunca duvidei do talento da atriz mas é sempre bom ver a versatilidade dos profissionais.

O jovem casal protagonista – Sami Gayle e Jacob Latimore – também me agradou. Ambos são talentosos e em tempos de campanhas mais que justas a favor da representatividade em Hollywood, é extremamente positivo assistir a um protagonista/núcleo de etnia negra no centro da trama. A Netflix tem batalhado bastante pela inclusão em seus elencos e produções, e lançou inclusive um vídeo sobre isto:

Somados a estes pontos o roteiro do filme é bem feito e nada óbvio. O casal central não é popular, ambos possuem suas famílias chefiadas pelas mães e figuras paternas ausentes (o que é uma realidade para inúmeros jovens em todo o mundo) – seja por um pai que sumiu ou pela escolha da mãe por uma “produção-independente”; num determinado momento temos uma reviravolta completamente inesperada na história e, em tempos de exacerbação da meritocracia, a mensagem final entregue ao telespectador não poderia ser melhor.

  • Barraca do Beijo:

bb

Comparado ao anterior, este filme possui um roteiro mais “bobinho”, mas com um aspecto que julguei interessante. Adaptado do livro de Beth Reekles, o enredo conta a história de Elle (Joey King) e Lee (Joel Courtney), melhores amigos desde o nascimento que criam regras para sua amizade – que não podem ser quebradas. Para arrecadar fundos em um evento de escola, os dois criam uma “Barraca do Beijo”, e usam como atrativo a participação do irmão – galã- mais velho de Lee, Noah (Jacob Elordi) – por quem Elle é apaixonada há muito tempo, mas nunca demonstrou já que é algo contra as regras de Lee. Porém, durante o evento, Noah e Elle se aproximam, estremecendo muito a amizade dos dois.

O filme tem alguns aspectos já batidos mas me agradaram dois pontos principais: a amizade entre os protagonistas – homem e mulher – era o conflito principal e em nenhum momento Lee esteve apaixonado por Elle – o que seria muito clichê; o outro ponto é a vida sexual de Elle não ser romantizada, o que é extremamente importante para a mensagem passada para o público alvo da produção. Elle é uma adolescente que tem desejos, sente atração e é desejada, ela não é uma menina indefesa que entrega sua virgindade como prêmio. Isto me deixou bastante satisfeita.

E de bônus nos aspectos positivos, temos Molly Ringwald – eterna garota de Rosa Chocking – no papel de mãe dos meninos.

  • Sierra Burgess é uma loser:

sb

Agora vamos falar do meu favorito master: Sierra Burgess! Para começar a protagonista é ninguém menos que Shannon Purser – a injustiçada Barb de Stranger Things. A atriz dá vida à Sierra, uma menina fora dos padrões que não se encaixa no colégio que estuda, é filha de um pai escritor-celebridade e uma mãe linda e popular. E apesar de lidar com todas as frustrações que a cercam, Sierra é uma menina feliz, inteligente, auto confiante, e que não se abala pelo bullying que sofre dos colegas.

Não quero falar muito porque vocês precisam assistir então vou citar alguns tópicos – mas poderia citar vários!:

. Noah Centineo no papel de Jamey

. A amizade entre Sierra e Verônica e a forma como em isto é mais importante do que o romance entre Sierra e Jamey.

. A desconstrução da imagem de “perfeição” de Verônica, e a maneira como as frustrações da mãe afeta a vida das filhas.

. O empoderamento feminino e o enaltecimento da auto-estima, presente em tantas passagens, e toda a mensagem positiva passada aos jovens telespectadores

. A cena em que Sierra expõe toda sua vulnerabilidade para o pai.

. As referências literárias ditas em inúmeras cenas.

. Eu já disse Noah Centineo?!

 

Assistam e me contem suas impressões!!! Existem também outras produções ótimas que falarei em posts futuros,  mas se pudesse dar um ponto de partida, seria com esses três filmes. Recomendo!

Fonte vídeos: https://www.youtube.com/user/NewOnNetflix

 

 

Sorteio rolando no Instagram!

78bb9bc5-6190-458c-9b4f-6ceb098f6a56

Pessoal ta rolando sorteio no Instagram destes três livros na foto:

. Me chame pelo seu nome, André Aciman

. Aconteceu naquele verão, Stephanie Perkins (contos)

. Alucinadamente Feliz, Jenny Lawson

 

Essa foto não é a oficial (por isso a rasura, rs) mas vocês vão encontrar a FOTO OFICIAL e as REGRAS do sorteio na página do instagram. Vocês podem acessar aqui na lateral direita da página ou pelo link:

https://www.instagram.com/p/BoPlnX1BxKp/

Participem, e Boa Sorte! bjs

 

Animais Fantásticos: Os crimes de Grindewald – Trailer Final

Saiu gente!!!

Foi divulgado hoje o trailer final de Animais Fantásticos: Os crimes de Grindewald, o segundo filme do universo de Fantastic Beasts, com data confirmada para o dia 16 de novembro de 2018!!!

A produção passou por algumas turbulências, como por exemplo a continuação de Johnny Depp na produção – que dá vida à Grindewald – após as denúncias de violência doméstica feitas contra ele por sua ex-esposa, Amber Hard. Mas as filmagens foram finalizadas e polêmicas à parte, estou muito ansiosa para o filme e principalmente entender melhor a relação entre Grindewald e Dumbledore ( Jude Law), algo que sempre foi muito nubuloso, nos livros do universo de J.K. Rowling.

Ansioooooosa!!!!

Confiram abaixo o trailer:

Fonte: https://www.ingresso.com

Adaptações de obras de Agatha Christie

883613._SX540_

Depois do sucesso em 2015 da adaptação para as telas de E Não Sobrou Nenhum (cujo título original é o incorreto e polêmico “O caso dos 10 negrinhos”), obra de enorme sucesso da inglesa Agatha Christie, a BBC anunciou a produção de mais 07 especiais baseados em obras da escritora.
O conto “Testemunha de Acusação” também será adaptado, em um especial com duas partes.

p03c11l4
Caso você não conheça – e deveria – Agatha Christie é uma das escritoras de maior sucesso da história, contabilizando cerca de 4 bilhões de livros vendidos e traduções em inúmeros idiomas, além de peças de teatro produzidas. A inglesa só perde para Shakespeare e a Bíblia em números. Faleceu em 1976, após publicar cerca de 80 romances, entrar para o Guinness Book e ser condecorada pela Rainha da Inglaterra.

Em tempo: Não consegui achar a adaptação de 2015 para assistir, se alguém souber, por favor me fale! 🙏🏻 (não vale apple tv !)

Fonte: hypeness.com.br